Senador Hélio José lança projeto ‘#Dizaí’ para levar o gabinete até a população do DF

0
571

Lideranças elogiam iniciativa de aproximação e divulgação do trabalho do parlamentar na comunidade do Recanto das Emas

O Senador Hélio José (PMDB-DF) lançou  neste último sábado (22), o projeto piloto ‘#Dizaí’, com a proposta levar o gabinete do parlamentar até aos eleitores de todas as Regiões Administrativas (RAs) do DF. Regado com apresentação musical e exposição sobre energia renovável e energia solar, ‘#Dizaí’ teve início no Recanto das Emas e reuniu moradores,  lideranças comunitárias, religiosas e políticas da cidade e de outras RAs do DF.

O ‘#Dizaí’ contou com a presença do deputado federal, Roney Nemer (PMDB-DF), do administrador regional do Recanto das Emas, Fábio Ávila e esposa, do presidente da Associação Nacional dos Líderes Comunitários (ANALC), Ilço Firmino, artistas, religiosos, lideranças locais e do, Gama, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I e II, Samambaia, Itapoã, Paranoá, Planaltina, Sobradinho e de outras regiões administrativas.

De acordo com o senador, o objetivo do projeto é que haja aproximação do gabinete com o povo. Isso porque em geral a população não tem o entendimento que pode ter livre acesso a um senador da república.

O ‘Senador do Povo’ também falou sobre a importância das energias alternativas, a exemplo da energia solar fotovoltaica e que o investimento por parte do Estado impactaria na redução de custo com a energia proveniente de usinas hidrelétricas ou térmicas. Essa economia  permitiria o remanejamento de outros recursos para utilização em outros setores, a exemplo da Saúde e Educação.

“Além de ser mais suja, a energia elétrica decorrente do uso do carvão mineral, também é mais cara e faz com que o brasileiro pague uma das contas mais caras do mundo. Por que aproximadamente 20% da nossa energia tem que ser gerada por combustível fóssil óleo diesel, carvão, que poluem o ambiente? Isso porque nós não estamos fazendo uso da energia solar de forma regular. Precisamos utilizar energia limpa e isso é possível fazer”, questiona Hélio José.

Roney Nemer, que é morador da cidade, parabenizou a iniciativa de Hélio José  e lembrou que o Senador faz um trabalho intenso junto a população do DF.

“Eu queria te parabenizar por estar ouvindo as lideranças. Não é época de eleição e os políticos só vem aqui em período eleitoral.”, disse ao observar que ambos são muito parecidos por trabalharem muito. “O Hélio anda mais do que notícia ruim e tem rodado muito. É isso que a gente espera de políticos, que efetivamente andem nas cidades.”

Viaduto

Hélio José falou da maior necessidade da população do Recanto das Emas, a construção de viaduto na entrada da cidade.

O parlamentar lembrou que em 2015, enquanto líder da Bancada do DF no Congresso Nacional, destinou recursos para a construção de um viaduto na via de acesso ao Recanto das Emas. Neste ano a bancada voltou a destinar R$ 30 milhões para a execução do viaduto.

A execução dessa obra deve aliviar o fluxo do trânsito, na via DF 001, que separa Recanto das Emas e Riacho Fundo II, além de beneficiar cerca de 350 mil pessoas do DF e região do entorno.

‘#Dizaí’

O administrador de Recanto das Emas, Fábio Ávila, considerou a iniciativa de Hélio José, “uma situação de vanguarda” e elogiou a aproximação do senador com as questões políticas da população local.

“A preocupação fica credenciada, por ocupação de um dos poderes da República, no sentido de se deslocar do Congresso Nacional e efetivamente se envolver com as questões políticas da cidade, não só meramente política, mas na questão também, de investimento e buscar a realidade que é, onde o povo se encontra. ”.

O presidente da ANALC, Ilço Firmino, que representa cerca de 6 mil líderes comunitários, por sua vez, disse a iniciativa de Hélio José serve para estreitar os laços com as lideranças comunitárias.

“Me falaram que ele [Hélio José] gosta dos trabalhos sociais. Então eu disse a ele que se apoiasse as lideranças, vai ser o senador mais forte. Ele prometeu e está fazendo isso.”, afirmou Firmino.

O ex-administrador da RA Núcleo Bandeirante, Danúbio Martins, por sua vez, sugeriu que todos os governantes sigam a iniciativa de Hélio José de se aproximar da população. Martins sugeriu que os moradores sejam contemplados nas administrações regionais. Isso por conhecerem a realidade da comunidade.

“Eu acho que todos os governantes deveriam fazer isso. O senador Hélio José disse uma coisa muito importante. Se os governantes tivessem indicado os administradores que moram na cidade para fazer a gestão pública na cidade, hoje ele estaria mil vezes melhor, não há comparação. O administrador é o porta-voz da comunidade.  Coloca um cara que é da cidade, como aqui no Recanto, por exemplo, ele [o administrador] está lá em cima, porque ele vai trazer o governo aqui para dentro.”.

Liderança comunitária do Riacho Fundo I, Milton Felício, que também representa o grupo de intervenção contra o governo Rollemberg, “O DF É NOSSO”, também elogiou a iniciativa de Hélio José.

“É um trabalho de extrema importância tendo em vista que nós não vimos ninguém na rua. Parece que os políticos não têm coragem de ir para a rua. O Hélio é um cara que é comprometido com a cidade, tem trabalho, não tem problema com a cidade, não deve nada para ninguém, pelo contrário. Ele trabalha, mostra serviço, corre atrás, onde tem problema, está envolvido com todos os segmentos, então, diante de tudo isso a gente vê um nome muito forte e que não pode ser esquecido em 2018.”

Idealizadora e responsável pelo projeto musical ‘Pracatá’, a professora Telma se apresentou com o grupo de percussão com instrumentos reciclados de materiais descartados no lixo, na abertura do ‘#Dizaí’.

Telma lembrou que embora os instrumentos venham do lixo, que os alunos e o grupo enfrentam dificuldades, de deslocamento, seja para o aluno ir para a aula ou a uma apresentação. A professora lembrou ainda da falta de espaço para os ensaios e até mesmo a compra das camisetas que identificam o grupo, barreiras essas que poderiam ser sanadas com a participação do Estado.

“Toda vez que a gente tem um evento, nós temos dificuldade com transporte e com ônibus. A gente depende de ajuda, para o administrador, a regional de ensino. A gente não tem estrutura de som para poder ensaiar com os meninos. São estruturas simples, mas que, eu acabo perdendo alunos para subempregos [estágios]. Isso talvez seja a coisa mais pesada. ”

Ao senador, a professora Telma, que ensaia com alunos do Centro de Ensino Médio 111 de Recanto das Emas pediu que apoiem iniciativas a exemplo do ‘Pracatá’, que promove a integração de alunos com o ambiente acadêmico por meio da música, além de integrar e fazer um trabalho de conscientização junto à comunidade e estimular à consciência ambiental.

“Porque que dentro da escola não pode existir opções de um aluno bolsista para que ele possa estudar música, expandir esse projeto, criar parceiros e abrirmos oficinas itinerantes. É um sonho expandir o Pracatá.”

Por ASCOM

Foto: Renan Araújo

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA