Comissão de Infraestrutura debate o atual Sistema Eletrobrás

0
486

Presidida pelo senador Hélio José (PMDB/DF), a Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) realizou na manhã desta quinta-feira (15) uma audiência pública interativa que debateu o atual sistema Eletrobrás.

A Eletrobras é uma empresa de capital aberto, controlada pelo governo brasileiro com foco em rentabilidade, competitividade, integração e sustentabilidade. A companhia lidera um sistema composto de subsidiárias que atuam nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. Ela é uma empresa de economia mista e capital aberto, a Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) é a maior companhia de capital aberto do setor de energia elétrica da América Latina.

Fomentando a importância desta grande companhia, foi que o senador Hélio José na eminência de ser um ferrenho defensor de melhorias no setor elétrico do Brasil que decidiu promover junto a CI este encontro para debater a situação atual da Eletrobrás.

Participaram da audiência o Presidente do Sindicato Urbanitários no Amazonas, Edinei Martins; o presidente da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), Nailor Gato e o Diretor, Pedro Tabajara; o Técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconomicos (Dieese), Gustavo Teixeira, o Senador Vilmar Larcerda e o ex Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, hoje senador pelo PMDB.

Hélio José vem tentando contribuir para desatar o nó desse setor. Recentemente, ele teve a felicidade de presidir a Comissão Mista da Medida Provisória nº 735/2016, a qual trouxe aperfeiçoamentos importantes para a gestão do sistema elétrico nacional com sua conversão em Lei nº 13.360/2016.

O senador disse na audiência que a Eletrobrás é um dos maiores patrimônios da União e que qualquer governante, em outro lugar do mundo, faria tudo para mantê-la operando plenamente, em benefício do seu povo.

O Parlamentar lembrou que em 2012, ao invés de preservar esse enorme ativo, o Governo Federal anterior optou por quase demoli-lo com a Medida Provisória nº 579. A MP, transformada na Lei nº 12.783/2013, antecipou a renovação de concessões no setor elétrico, em busca de uma redução forçada das tarifas de energia elétrica. Ele conta que a diminuição tarifária teve o efeito de sufocar uma organização antes bem oxigenada.

“Na época da edição da MP, as hidrelétricas brasileiras vendiam o Megawatt-hora por R$ 120,00 em média. A Eletrobrás foi obrigada a praticar o preço de R$ 9,00/MWh, isto é, mais 90% de desconto sobre o valor de mercado, além disso, a medida provisória obrigou a uma redução de R$ 10 bilhões no valor patrimonial da empresa”, declarou Hélio José, dizendo ainda que o resultado dessas ações desastrosas, empurrou o conglomerado para os braços da crise.

O Presidente do Sindicato Urbanitários no Amazonas, Edinei Martins parabenizou a iniciativa do encontro e disse que é fundamental discutir a situação atual da companhia elétrica e que esta audiência serviu para adquirir mais conhecimentos a cerca deste setor.

 

Demissões

Para o senador Hélio José as aposentadorias e demissões incentivadas irão subtrair da Eletrobrás profissionais que têm grande familiaridade com o setor elétrico. “ Sem essa equipe, um volume enorme de conhecimento será perdido. Já vimos passar vários Programas de Desligamento, denominados “Voluntários” e os seus resultados foram pífios”, conta o parlamentar.

“Pelo que se sabe, nenhum desses programas proporcionou melhoria efetiva à empresa que o colocou em prática. Parece que a lição ainda não foi aprendida. Mais do que isso, novos técnicos terão de ser contratados e treinados para substituir quem se foi. E a nova safra de profissionais, menos experiente, sem dúvida terá mais dificuldades para enfrentar os desafios existentes no setor”, conclui.

No entendimento do senador Hélio José, a audiência de hoje serviu para levantar questões básicas necessárias para as melhorias na estatal, além de conseguir discutir e apresentar algumas questões para os problemas da Eletrobrás.

ASCOM

Foto: Renan Araújo

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA