Senador Helio José participa do Parlatino em Santiago, Chile

0
800

O senador Hélio José (PMDB-DF), na condição de membro do Parlamento Latino Americano (Parlatino), participa da reunião da Comissão de Minas e Energia, da qual é vice-presidente, que acontece entre os dias 1 e 2 de setembro, na cidade de Santiago, Chile. Na pauta da reunião está o projeto do Marco Regulatório de Energia Renovável para a América Latina e Caribe, de autoria do senador Hélio José. A abertura do Parlatino aconteceu na Câmara dos Deputados do Chile, que hoje completa 206 anos, onde Hélio José fez um discurso em nome dos parlamentares do Brasil, defendendo a legitimidade do processo de impeachment que foi presidido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski.

PROJETO DO MARCO REGULATÓRIO DE ENERGIA RENOVÁVEL

O parlamentar vem trabalhando incessantemente nesse projeto dentro do Parlatino. “O continente Latino-Americano recebe singular incidência de radiação solar e de ventos. Na esfera mundial, tais fontes têm apresentado forte expansão desde a última década. Assim, não se podem desperdiçar as oportunidades e as sinergias que isso representa. É por esse motivo que os governos locais têm se dedicado ao desenvolvimento tecnológico e ao incentivo à utilização dessas fontes energéticas. Entretanto, há outras fontes igualmente renováveis e vantajosas, do ponto de vista ambiental, que merecem atenção. Por isso, as ações devem considerá-las em sua plenitude,” enfatizou. O peemedebista disse ainda que juntas, as fontes renováveis de energia podem ser instrumentos valiosos de políticas de universalização do acesso à energia elétrica, de forma a integrar comunidades atualmente isoladas. Para isso, há que se fomentar sua utilização e expansão, por meio de políticas energéticas apropriadas, de ações em Pesquisa e Desenvolvimento e de alternativas criativas de financiamento. Para o senador as políticas nacionais de estímulo às fontes renováveis, crê-se que seja importante aprovar, no âmbito do Parlamento Latino-americano, um Marco sobre Energias Renováveis. Tal instrumento deve representar uma visão compartilhada do futuro que se quer para a região e reunir todos os países em torno de ações coordenadas e integradas. Um Marco comum estimulará sinergias e compartilhamento de avanços tecnológicos e de melhores práticas entre todos os países.
Por ASCOM senador Hélio José

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA